Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MANGUALDE "recordar"

Mangualde, no distrito de Viseu, Beira alta, Portugal, cujo foral foi concedido em 1102 pelo Conde D. Henrique. ( todo o conteúdo do blogue é divulgação de pesquisa e não autoria de "MANGUALDE"recordar" )

MANGUALDE "recordar"

Mangualde, no distrito de Viseu, Beira alta, Portugal, cujo foral foi concedido em 1102 pelo Conde D. Henrique. ( todo o conteúdo do blogue é divulgação de pesquisa e não autoria de "MANGUALDE"recordar" )

CRUZEIRO DE PÓVOA DE CERVÃES

f158tp5_thumb4.jpg

 

«Foi um instrumento de suplício constituído por dois madeiros que cruzavam normalmente em ângulo recto, e onde em tempos antigos os malfeitores eram mortos.


A vontade de Deus foi tão grande que permitiu que seu filho Jesus morresse na cruz. A cruz veio a tornar-se o símbolo do Cristianismo.
Entre a variedade das formas da Cruz, sobrelevam a cruz latina, de origem cristã, a grega de braços iguais, usada pelos gregos e pelos romanos, a bifiada, a comissa em forma de “T”, a decussata ou de Stº André, a patriarcal de dois travessões, a patada ou pateia, a recruzada, a de Malta, a de S. Tiago, que como a de Calatrava datam da fundação das ordens militares do século XII, a de Alcântara, idêntica à anterior na forma, mas diferente na cor, a trevada e a florençada ou florenciada, muito em uso no período ogival, a gamada ou suástica de uso muito antigo e que foi símbolo do nacionalismo alemão, a egípcia muito usada nos hieroglíficos como símbolo de vida. Estas últimas, assim como a âncora, são de uso muito anterior ao cristianismo.»

 

Fonte: livro “Póvoa de Cervães – A Terra e as Gentes” do autor Luís Filipe Martins de Almeida Mendes

 

Santiago de Cassurrães - Santuário da Senhora de Cervães

5938193486_872154931f.jpg

 

A capela de Nossa Senhora de Cervães é um dos mais belos santuários do conselho de Mangualde, quer pela construção em si, quer pelo espaço envolvente constituído por um amplo adro murado, frondosamente coberto por copas de árvores seculares. É uma construção granítica datada do século XII, sendo a data de edificação apontada por vários escritos de 1660.

Dedicada à Nossa Senhora de Cervães, a sua história não é muito clara e poderá em parte ter-se perdido de geração em geração.

 

Escritos do Dr. Valentim da Silva (citando Frei Agostinho de Santa Maria) apontam neste sentido:

Entre Santiago de Cassurrães e Póvoa de Cervães, existe um sítio denominado Cervas ou Cervães. Naquele vale, um homem terá sido atacado por muitos veados e, já prestes a morrer, rezou à Virgem para que o socorresse. Os veados desapareceram e assim se terá operado o milagre que deu origem ao nome de “Nossa Senhora de Cervães”. Ali naquele local, ter-se-á construído então a primitiva capela, que por ser um local ermo e desabitado, seria transferida em 1660 para o local onde hoje se encontra.

 

Vila Mendo de Tavares - Abrigo de Pastor

5ce134c8-d96c-48da-b23d-3789d3ccc2e7_l.jpg

 Há centenas de anos, os pastores que percorriam estas terras desertas e inóspitas, longe de suas casas, necessitavam de abrigos para pernoitarem e se protegerem das itempéries.

Aproveitando os recursos naturais (o granito no caso) construiam estes abrigos rudimentares.

Fruto do abandono, muitos já desapareceram, mas alguns insistem em resistir para que novas gerações os possam contemplar.